Pai de Menina

Da semente à Flor

Ensinando criança a falar [1]

Desenvolvimento por contínuo estímulo resolve problemas na fala das crianças.

Ana Rosa sempre começa o dia chamando a mamãe mas nos finais de semana sou eu quem acorda primeiro para atendê-la.

O diálogo a seguir é muito comum e serve para mostrar que estímulo contínuo dá resultado na fala da criança. Corrigir erros da fala não é tão fácil quanto se imagina pois crianças tendem a repetir sons conhecidos mesmo que errados. Vale lembrar que a Ana Rosa começou a falar bem só depois dos 2 anos e limitava-se a falar “dedeira. Hoje…

– Mamããããe, dedeira. (Ana Rosa berra da Cama)

– Bom dia Ana, vamos acordar . (Respondo a caminho do quarto)

– Não papai, quero mimir. (Ela retruca)

– Dormir, filha?  (Tento corrigir)

– É. (Ela responde. Deixo passar, meu objetivo é a mamadeira)

Dedeira, papai. (Ela pede novamente)

Ma-ma-dei-ra. Fala pro papai. (Ensinar sílabas e sons é sempre um bom início)

Ma-ma-dei-ra. (Ela responde me copiando muito rápido).

Isso. Parabéns. Agora tudo junto. Mamadeira. (e vem aquela certeza de que ela vai falar corretamente)
MAMA-DEDEIRA. (ela responde).

Saio rápido do quarto para que ela não perceba meu riso. A dica 6 é a mais difícil.

Percebi que a melhor maneira de ensinar a Ana Rosa a falar requer ambiente especial e compartilho essas dicas:

  1. Foco. Sem distrações. TV desligada, brinquedos guardados e distantes (quando possível).
  2. Fonemas BEM desenhados com movimentos da boca e músculos da face lentos e perceptíveis. Crianças adoram caretas e por isso copiam fácil esses movimentos.
  3. Barulhos e brincadeiras. Faça sons bizarros para exercitar consoantes com “f” e “r” (cuidado com a garganta, não exagere neste último)
  4. Repita. Repita. Repita. Ouvir o correto facilita associação.
  5. Toda hora é hora de ensinar. Não tenha vergonha de ensinar ou de que outros percebam o erro da criança. Não ha nada pior do que a vergonha para aprender a falar (inclusive outros idiomas).
  6. E o mais difícil. Falar errado não é bonito. Esforce-se para não dar reforço positivo nas palavras erradas (entendo bem a ironia desta regra com o diálogo travado acima).

E você, como faz?

O Caramujo e a Saúva

Quando assisti pela primeira vez a propaganda dos “pôneis malditos” da Nissam pensei que nunca encontraria algo tão grudento quando aquilo. Por alguns meses cantarolei aquela música em elevadores e filas de espera. Isso não mais acontece. Agora eu canto Palavra Cantada.

Tentem dar uma aula, atender cliente ou mesmo realizar uma audiência sem ouvir “na segunda” e automaticamente pensar em “desenharam o gavião“.  Eu não consigo … 😛

Como comida ruim que oferecemos para outro provar, deixo vocês com o vídeo e link para a letra, hehe:

8 meses depois…

Muito tempo passou desde a chegada da pequena e o óbvio ocorreu: faltou tempo para escrever.

Sim, oito meses no relógio dos pais é uma eternidade. Com quatro meses já comentávamos “quando a Ana era pequena não dava tempo pra nada“.

São agora 23:11 e estamos apagando as luzes para pegar estrada.

Amanhã partiremos para Porto Alegre, Dom Pedrito/RS e Rivera/URU e essa história vou contar nos próximos posts.